Webmail

Palestra na Sede da CAEMA conscientiza sobre saúde do homem

A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema) realizou uma palestra de conscientização sobre a saúde dos homens, no auditório sede da empresa, em adesão à campanha do Novembro Azul. O objetivo foi explicar a importância da prevenção, os fatores de riscos e as formas de tratamento do câncer de próstata.
A palestra foi ministrada pela enfermeira do Hospital do Câncer Aldenora Bello, Bruna Falcão, que trouxe dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA, e explicou que “O câncer de próstata é o segundo mais comum entre os brasileiros, perdendo apenas para o de pele. No Maranhão, a doença lidera o ranking. Na fase inicial, ela é silenciosa, por isso, a partir dos 50 anos de idade, os homens devem procurar o urologista anualmente na finalidade de detecção precoce e, se houver histórico da doença na família, 5 anos mais cedo”, alertou.


A enfermeira falou ainda da importância da prevenção e tratamento. “Na faixa dos 50 anos, o acompanhamento regular com urologista é indispensável, da mesma forma que fazer o exame de toque retal, pois é a partir dele que o médico conseguirá detectar alterações na próstata e indicar os próximos passos para fechar um diagnóstico e, em casos positivos, o médico encaminhará para o tratamento feito de acordo com cada caso. É importante lembrar que quanto mais cedo iniciar o tratamento, maior a taxa de cura e menores os efeitos colaterais”, enfatizou.
Além de alertar sobre a prevenção do câncer de próstata, o Novembro Azul chama a atenção para a saúde do homem de forma geral. Praticar atividades físicas associadas à uma alimentação saudável, não fumar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas, ajuda na prevenção do câncer de próstata e de outras doenças. Estudos mostram que homens com sobrepeso e obesidade tem maior risco de câncer de próstata.


Jacira Sousa, assistente social da CAEMA, ressaltou que homem também tem que se cuidar. “Muitos dos nossos colaboradores já estão na fase de maior risco e, neste mês, que é voltado para a fomentação dos cuidados com a saúde dos homens, não poderíamos deixar de trazer essa discussão para a empresa, lugar onde passamos maior parte do tempo. Vimos que, de dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos, também vimos que o acompanhamento regular com o urologista pode diminuir os dados de morte em circunstância da doença, já que, em muitos casos, quando procuram ajuda médica, a doença já está em estado avançado. Então, peço que deixem o preconceito de lado e se cuidem”, finalizou.