Webmail

CAEMA realiza palestra por videoconferência abordando métodos de prevenção ao novo Coronavírus

A Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (CAEMA) promoveu, na manhã desta quinta-feira (14), uma palestra por videoconferência com o tema “Medidas preventivas para a CAEMA em tempos de Covid-19”, ministrada pelo médico sanitarista e secretário de Políticas Públicas do Governo do Estado, Marcos Pacheco.

O diretor-presidente da CAEMA, André dos Santos Paula, fez fala de abertura, destacando algumas ações realizadas pelo comitê instaurado na Companhia para monitoramento do Covid-19, como o distanciamento social de colaboradores do grupo risco e/ou com morbidades e dos que apresentassem eventuais sintomas da doença. No início das medidas, trabalhava-se com cerca de 2.000 funcionários atuando presencialmente e, nos dias atuais, o número foi reduzido, gradativamente, para cerca de 1.000. Aos servidores que seguem no trabalho em campo, tem-se fornecido materiais que auxiliam na prevenção, como álcool em gel, máscara, luvas além da realização de testes para verificar eventuais contágios.

Sobre a realização da palestra, o diretor reiterou que um dos pontos mais importantes para combater o novo Coronavírus é a informação. “É necessário esse momento de diálogo porque o combate a desinformação é importante, pois ela pode atrapalhar a eficácia da prevenção. O nosso trabalho é tão essencial quanto o de outros setores como Segurança, Saúde e Indústria Alimentícia, uma vez que precisamos manter a regularidade do fornecimento de água e o fator essencial à medida preventiva neste momento, é o conhecimento. Por isso é interessante que ele chegue e chegue de forma compreensível”, destacou.

Covid-19 e os cuidados a serem tomados

De acordo com o secretário de Políticas Públicas, Dr. Marcos Pacheco, o Covid-19 é um vírus que tem predileção pelo sistema respiratório e cujo contágio acontece pelas narinas ou pela boca. Os sintomas mais comuns assemelham-se aos de uma gripe, como febre, dor de cabeça, dor no corpo, fadiga, perda de olfato e/ou paladar e dores musculares. No entanto, o vírus se manifesta de diferentes maneiras nos pacientes. “Quando ele se replica no corpo humano, cerca de 80% dos pacientes apresentarão ou apenas um quadro gripal ou não apresentarão sintoma algum. Porém, os outros 20% sentirão sintomas mais graves e em torno de 3% a 5% destes, manifestarão insuficiência respiratória”, explicou.

É necessário ficar atento a sinais específicos que indicam uma possível complicação: febre persistente, tosse intensa (incomodativa) e desconforto respiratório, são sintomas que apontam a necessidade de consulta médica. Nos casos leves da doença, é orientado repouso e isolamento de 14 dias a partir do primeiro sintoma; já os casos mais graves podem precisar de internação e o tempo de isolamento pode se estender até a 21 dias.

Quanto aos métodos de proteção tanto no trabalho quanto em outras situações, o médico ressalta que a máscara é a principal aliada. “Como o contágio do vírus se dá por vias respiratórias, a máscara é o principal equipamento para evita-lo, porque obstrui a sua entrada. O ideal é que a máscara tenha dupla face, uma interna e outra externa e que ela cubra todo o nariz se estendendo até a parte inferior do queixo”. Além disso, ele pontuou que não se podem deixar de lado outras ações, como o uso do álcool em gel, lavagem constante das mãos com água e sabão e uso de luvas e botas quando for necessário.

O gerente da Unidade de Negócios da Cidade Operária, George Coutinho, apontou alguns aspectos que chamaram sua atenção durante o discorrimento do tema. “A palestra foi muito propositiva e esclarecedora acerca dos principais pontos dessa pandemia. Questões importantes como prevenção, tratamento e os procedimentos para a volta ao trabalho, que são pontos pertinentes aos colaboradores da CAEMA, foram muito bem sintetizados e explicados. A Companhia está de parabéns por esta ação”, afirmou.

O auxiliar administrativo João Corrêa, da Superintendência de Operação, Manutenção e Atendimento ao Cliente do Interior (OCI), também apontou detalhes importantes citados na palestra como o consumo de água e o uso da máscara. “O consumo constante de água é muito importante, hábito que em muitas das vezes ainda é negligenciado. Outro ponto interessante é o uso das máscaras, que não podem ser deixadas de lado mesmo se a pessoa já tiver se recuperado, uma vez que a sua imunidade não a impede de passar o vírus adiante”, finalizou.